Caçadores vão fazer vigilância activa da floresta
Publicado | 2018-08-06 04:47:57
 
Os caçadores vão fazer vigilância activa da floresta, integrados num protocolo assinado entre o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) e as Organizações do Sector da Caça (OSC) – a Confederação Nacional dos Caçadores Portugueses, a Federação Portuguesa de Caça e a Associação Nacional de Proprietários Rurais. Estas organizações abrangem cerca de 5 mil zonas de caça, que cobrem todo o território nacional.
 
O objetivo do protocolo é estabelecer a forma de cooperação destas entidades, cujos associados (2 caçadores por associação) passarão a ter números de telefone registados junto das autoridades, para que os seus alertas sejam reconhecidamente credíveis e permitam uma intervenção mais imediata. O ICNF fornece os dísticos de identificação para as respectivas viaturas e coletes reflectores com o logotipo da campanha “Cada Caçador, um Vigilante”. 

O Ministro da Agricultura, Capoulas Santos,  sublinhou “a importância desta disponibilidade, multiplicadora do exército de vigilantes da floresta e que demonstra o papel importante que os caçadores desempenham na ocupação do território rural”. 

A par desta nota, o Ministro dirigiu um “forte apelo aos agricultores e aos produtores florestais para que observem todas as condições de segurança na utilização de maquinaria e respeitem escrupulosamente a proibição do uso do fogo”. 
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
15 14
10 8
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda