Concelho de Moura volta a não ter cobertura de meio aéreo
Publicado | 2015-05-08 04:20:26
 
Foi anunciado na passada quarta-feira, o Plano de Operações Distrital, que estabelece, para este ano de 2015, o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais, para o distrito de Beja.
 
A sessão teve lugar no auditório do Nerbe/Aebal, tendo contado com a apresentação do Comandante Distrital, tenente-coronel Vitor Cabrita.
Este ano o distrito de Beja volta a contar com apenas um meio aéreo, para todo o seu território. O helicóptero, situado em Ourique, é o único meio aéreo para combater as chamas no distrito que poderá em caso de necessidade receber o reforço de outros meios estacionados em Évora, Grândola, Cachopo, Monchique e Loulé.
Apesar disso e tendo em conta o raio de alcance destes meios disponibilizados, os concelhos de Moura, Serpa e Barrancos voltam a ficar sem cobertura por meio aéreo de ataque inicial, em caso de incêndio.
Carlos Encarnação, Comandante dos Bombeiros Voluntários de Moura, lembrou que em 2014 o concelho de Moura foi o que registou o maior número de incêndios e a maior área ardida, no distrito de Beja, sendo que este ano os meios disponíveis serão idênticos aos do ano passado.
No concelho de Moura as situações que suscitam maiores preocupações são o Baldio das Ferrarias e o perímetro florestal da Herdade da Contenda.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
38 39
17 18
 
 

Nome:

Email:

 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda