Produção de Azeite aumentou no Alentejo apesar da seca
Publicado | 2018-07-31 04:52:40
 
Segundo o SIAZ - Sistema de Informação do Azeite e Azeitona de Mesa a seca meteorológica, que se prolongou ao longo de todo o ciclo de desenvolvimento vegetativo dos olivais, em 2017, ano de safra, reduziu em extremo a ocorrência de pragas e de problemas fitossanitários, para além de proporcionar a redução de teor de água nas azeitonas e aumentar o teor de gordura das mesmas.
 
Aumentou a área de olival intensivo e superintensivo em produção, nomeadamente na região Alentejo (olival de regadio), o mesmo sucedeu com a quantidade total de azeitona colhida e laborada nos lagares O rendimento médio das azeitonas oleíficadas foi elevado (16,2%) e significativamente superior aos rendimentos das últimas campanhas.

Assim e segundo o inquérito realizado, o peso da região Alentejo na produção nacional de azeite subiu de 75%, na campanha 2016-2017, para 78%, na campanha 2017-2018. Em contrapartida, o peso da região Norte desceu de 15,5% para 11%.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
15 14
10 8
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda