PCP alerta para a necessidade de uma verdadeira política de coesão territorial para o Baixo Alentejo
Publicado | 2018-07-20 04:28:24
 
O Executivo da Direcção Regional do Alentejo do PCP, mostra-se preocupado com carácter generalista do conjunto de decisões do governo, como o “Plano Nacional da Política de Ordenamento do Território” (PNPOT), do “Programa Nacional para a Coesão Territorial” (PNCT), e das recentes medidas para a nova versão do Programa de Valorização do Interior (PVI), aprovado e anunciado pelo Conselho de Ministros extraordinário.
 
Jorge Dias Coelho do executivo da DRA do PCP sublinhou à Planície que a região e o país precisam, que se potenciem as  infra-estruturas existentes como o Aeroporto de Beja, que tem o seu valor e potencialidades intrínsecas, e aponta a urgência do Estado (que nele já investiu milhões de euros); a necessidade da construção da 2ª fase do Hospital de Beja (sucessivamente adiada). João Dias Coelho, acrescenta ainda, que o Governo ao mesmo tempo que fala em coesão territorial, continua a fechar ou a degradar o funcionamento de serviços públicos, na educação, na saúde, no serviço de correio, na justiça e segurança dos cidadãos. Nesse sentido e para além da “bota não bater com a perdigota” quer o PNCT, quer o PVI, são uma mão cheia de nada, ignorando necessidades prementes e urgentes para a região.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
36 36
21 20
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda