Estação dos Correios de Barrancos, Almodôvar e Vidigueira foram encerradas, mas há mais que também podem encerrar no Baixo Alentejo
Publicado | 2018-06-28 04:18:21
 
Segundo o Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações, está previsto o fecho das estações dos CTT de Alvito, Viana do Alentejo e de Cuba.
 
António Patola do Pólo de Beja do Sindicato dos CTT, adiantou à Planície que outras estações se encontram na “calha” para terem igual tratamento. António Patola lembra que nos últimos meses as estações das vilas de Almodôvar, Vidigueira e Barrancos, foram "as mais recentes vítimas" no Alentejo e substituídas por postos de correios geridos por privados. Para este sindicalista a ideia é fechar as estações que não tenham balcão do Banco CTT, porque não são rentáveis. Esta situação obriga a população, que na maioria é idosa, a deslocar-se no caso de Barrancos a Moura, caso tenham algum serviço do Banco CTT a tratar, uma vez que os postos, são geridos por parceiros privados e só realizam alguns serviços.

Por outro lado está também a colocar-se a questão da manutenção dos postos de trabalho, porque se encerram as estações os funcionários ficam sem lugar. António Patola adiantou que o Sindicato está a fazer um levantamento e uma análise à situação para ver qual vai ser a atitude de luta a ter para preservar os postos de trabalho e evitar mais encerramentos de estações, e acusa a empresa de só pensar nos lucros, prejudicando as populações. Entretanto o SNTCT, fez sair um comunicado a que a Planície teve acesso, onde sublinha precisamente a ideia de rentabilização da empresa, afirmando que,” basicamente o Alentejo e os Alentejanos estão debaixo do fogo cerrado da Gestão dos CTT, que assim lhes encerra Estações de Correio a eito, porque os que ali vivem são poucos e, aparentemente, tão pobres que nem um balcão do Banco CTT merecem.”
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
34 34
16 16
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda