Sindicato dos Professores da Zona Sul contra a municipalização da educação
Publicado | 2015-05-04 00:09:21
 
Segundo o presidente do Sindicato dos Professores da Zona Sul, Manuel Nobre, o que o Governo pretende com a municipalização da educação é um processo que parte de pressupostos errados.
 

O sindicalista salienta que se os mais de 300 municípios ficassem com a educação a seu cargo iríamos ter mais de 300 formas de educação nas escolas, facto que não é de forma nenhuma viável. Por outro lado o Governo que passar para as autarquias responsabilidades que fazem parte do Ministério da Educação, porque as Câmaras não podem estar a decidir conteúdos e programas escolares. A participação das autarquias é importante, mas em outras áreas e não a substituir uma função do Governo.

Manuel Nobre acrescenta ainda que só 13 municipios aceitaram ficar com essa responsabilidade o que demonstra a discordância da maioria com todo este processo que está a ser negociado às “escondidas” pelos responsáveis governamentais. “ Se é tão bom, porque é que este processo foi feito em segredo e para entrar em vigor a 1 de Setembro deste mês? Por seu lado a FRNPROF considerou que a municipalização da educação, com a transferência de competências para os municípios, tem objectivos financeiros e ideológicos.

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
38 39
17 18
 
 

Nome:

Email:

 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda