Greve na Secundária de Moura não interfere com os exames
Publicado | 2018-06-19 04:46:35
 
Os professores iniciaram uma greve às avaliações para exigir a contagem do tempo de serviço congelado, que se prolongará pelo menos até ao final deste mês e poderá estender-se até meados de Julho.
 
O director da Escola Secundária de Moura, Rui Oliveira fez à Planície o balanço do início da greve, referindo que até ao momento só não se realizou uma reunião, destacando ainda que os exames estão a decorrer dentro da normalidade. Rui Oliveira acrescentou também que a greve é para continuar.  

Recordamos que esta paralisação foi convocada pelas dez estruturas sindicais, com pré-avisos entregues até meio do próximo mês, realizando-se de forma intermitente. 

Esta greve tem como questão principal a contagem de todo o tempo de serviço, a recuperação dos nove anos, quatro meses e dois dias, mas os professores reivindicam também a criação de um regime especial de aposentação, horários de trabalho de 35 horas e a resolução do "problema grave" de precariedade que também afecta os docentes.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
19 20
12 10
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda