Reguengos de Monsaraz é um dos municípios fundadores da Associação Portuguesa de Cidades e Vilas Cerâmicas
Publicado | 2018-04-23 04:33:53
 
O Município de Reguengos de Monsaraz integra a Associação Portuguesa de Cidades e Vilas Cerâmicas, que foi constituída no passado dia 17 de Abril, com a assinatura da escritura pelo grupo fundador de 14 autarquias.
 
A associação será inicialmente formada pelas autarquias de Alcobaça, Aveiro, Barcelos, Batalha, Caldas da Rainha, Ílhavo, Mafra, Montemor-o-Novo, Redondo, Reguengos de Monsaraz, Tondela, Viana do Alentejo, Viana do Castelo e Vila Nova de Poiares e tem como objetivo promover e preservar a cerâmica portuguesa.

A sede da Associação Portuguesa de Cidades e Vilas Cerâmicas vai ser nas Caldas da Rainha e a presidência no primeiro mandato será assumida pela autarquia de Mafra. Com a concretização da associação, Portugal integrará o Agrupamento Europeu de Cidades Cerâmicas. 

O Centro Oleiro de S. Pedro do Corval, no concelho de Reguengos de Monsaraz, tem actualmente 22 olarias em funcionamento, entre as quais duas oficinas que se dedicam integralmente à cerâmica de construção, uma maioritariamente à louça tosca ou à louça vermelha vidrada, e as restantes à louça decorativa, embora mantenham sempre a possibilidade de fazerem louça vermelha vidrada. Em S. Pedro do Corval continuam a pintar-se os motivos típicos do Alentejo, como por exemplo o pastor, a apanha da azeitona e a vindima.

A cerâmica no concelho de Reguengos de Monsaraz surgiu na pré-história, tendo sido descobertos vestígios de olaria em antas da região, nomeadamente de peças feitas à mão. Em 1276, D. Afonso III, no foral Afonsino de Monsaraz, reconhece privilégios aos oleiros do seu termo que poderiam assim ter livremente fornos de olaria.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
19 20
12 10
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda