«Xylella Fastidiosa» detectada num viveiro de flores em Espanha
Publicado | 2018-04-18 04:12:18
 
Em 2016 a Direcção geral de Alimentação e Veterinária já havia elaborado um Plano Nacional de Contingência e monitorização da bactéria Xylella Fastidiosa.
 
Na altura e embora a bactéria estivesse a afectar sobretudo o olival, a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos havia identificado mais de 27 géneros e de 160 espécies de plantas, que podem ser hospedeiras desta bactéria. 

Para além das medidas entretanto adoptadas no espaço comunitário para a prevenção e erradicação da Xylella, a Direcção Geral de Alimentação e Veterinária considerava que o risco de introdução no nosso país é elevado, tendo em conta a circulação de material de propagação proveniente de diversas regiões e as frequentes infecções assintomáticas que dificultam a detecção desta bactéria.

Já esta semana um membro do Governo espanhol confirmou um caso de Xylella Fastidiosa, que foi detectado num viveiro de flores, na região de Andaluzia. O mesmo responsável assegurou não se tratar de um foco, mas sim de um caso isolado que já se está controlado pelas autoridades.

A Comissão Europeia bem como os estados Membro desde a detecção desta bactéria tentam, a todo o custo, travar o alastramento da doença. Refira-se que só em Portugal estão em jogo mais de 350 milhões de euros em exportações, que poderão ser comprometidas, caso esta bactéria alastrasse ao nosso país.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
18 21
8 10
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda