União de Freguesias de Moura e Santo Amador acusa Câmara de Moura de não cumprir a lei
Publicado | 2015-03-13 04:40:11
 
A União de Freguesias de Moura e Santo Amador acusa a Câmara Municipal de Moura de não cumprir a lei no que toca ao estabelecimento de denominação das ruas e praças das localidades e das povoações, que estipula que as Câmaras Municipais só podem aprovar a denominação, após parecer da Junta de Freguesia.
 
A União de Freguesias acusa o executivo camarário de, já por duas vezes, lhe ter solicitado pareceres, após deliberação tomada em reunião de Câmara. 
Para Álvaro Azedo, presidente da União de Freguesias de Moura e Santo Amador, se na primeira vez que tal situação sucedeu, a 18 de Fevereiro, aquando da atribuição do nome de João Mendes Fialho à Avenida dos Bombeiros Voluntários, poderia configurar-se um lapso, na segunda ocasião, verificada a 9 de Março, por ocasião da atribuição do nome de Alfredo Raposo Massapina à Rua Projectada ao Bairro da Salúquia, considera que esta postura do executivo da Câmara reflecte “desrespeito pela União de Freguesias”. Um desrespeito que, segundo o autarca, tem sido uma constante em variadas matérias, nomeadamente ao nível da desocupação do edifício que albergava a Freguesia de São João Baptista, na Praça Sacadura Cabra, da delegação de competências e da divida que a Câmara tem para com a Freguesia, que ascende a 30 mil euros.
Contactado pela Rádio Planície, Santiago Macias, Presidente da Câmara Municipal de Moura, preferiu não emitir qualquer reação sobre o comunicado divulgado ontem pela União de Freguesias de Moura e Santo Amador.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
38 39
17 18
 
 

Nome:

Email:

 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda