IP2 não está inscrito nos documentos oficiais da Estradas de Portugal até 2020 e o IP8 surge apenas com 15 ME disponíveis
Publicado | 2015-02-24 04:41:51
 
A DORBE do PCP realizou ontem uma conferência de imprensa, onde esteve presente João Ramos, deputado eleito por Beja, na Assembleia da República.
 
A iniciativa serviu para abordar o Projecto-Lei apresentado na Assembleia da República, “Por uma solução rápida e definitiva para o problema do IP8 e do IP2 e por garantias de intervenção na rede rodoviária do distrito de Beja”.
O PCP relembra que desde 1985 que se encontra aprovada a criação do IP2 e do IP8, no âmbito do Plano Rodoviário Nacional, mas que passados 30 anos estes itinerários continuam por concluir.
De acordo com os comunistas o distrito de Beja representa 11% do território nacional, contudo não tem no seu território qualquer itinerário principal ou complementar construído dos inscritos no Plano Rodoviário Nacional. O único itinerário no seu território é a A2, que apenas atravessa o distrito não tendo uma utilidade estruturante.
João Ramos, referiu que no projecto de resolução constam também intervenções, em outras vias do distrito.
Ainda relativamente ao início das obras no IP2, cujo arranque estava previsto para este mês de Fevereiro, o deputado comunista refere que nos documentos oficiais, até 2020, da empresa Estradas de Portugal não consta qualquer referência ao Itinerário Principal  nº 2, nem na construção de novas insfraestruturas, nem no plano de manutenções.
No que toca ao IP8, que já teve uma verba de 165 milhões de euros cabimentada para a sua execução, nos mesmos documentos da Estradas de Portugal, surgem agora apenas 15 milhões de euros disponíveis para este itinerário.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
32 32
16 16
 

Nome:

Email:

 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda