PCP preocupado com o futuro do Serviço Nacional de Saúde
Publicado | 2015-02-20 04:21:41
 
O Partido Comunista Português está preocupado com o futuro do Serviço Nacional de Saúde e acusa o PS de ter iniciado um processo de encerramento progressivo de extensões e postos de saúde, de serviços de atendimento permanente e redução de horários de funcionamento, ficando as populações praticamente sem resposta no período nocturno, fins-de-semana e feriados.
 
Uma situação que está a ser agravada pelo actual governo do PSD/CDS, que tem implementado uma política de desmantelamento do Serviço Nacional de Saúde, conduzido à descredibilização e desqualificação de um dos serviços públicos que mais beneficiou com o 25 de Abril.
O PCP aponta várias situações que comprovam os constantes ataques feitos ao Serviço Nacional de Saúde, pelo Governo, dando como exemplos no distrito de Beja, o encerramento de camas, a falta de médicos de família, a recente entrega do Hospital de Serpa à Misericórdia, são apenas alguns dos exemplos que retratam bem o desinvestimento que tem sido feito na área da saúde.
Bernardo Loff, do PCP, referiu que os problemas no Serviço Nacional de Saúde não são de agora, mas nesta altura, agudizaram-se com o surto de gripe e as várias noticias que têm vindo a público a dar conta de problemas no atendimento a utentes nos vários serviços de urgência dos Hospitais, nomeadamente em Beja.
O PCP discorda ainda da Reorganização Hospitalar que o Governo pretende levar a cabo, uma vez que considera que a mesma não irá resolver os problemas da saúde em Portugal.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
14 16
6 6
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda