Serpa - Contestação para intervenção urgente na via rodoviária EN 260
Publicado | 2021-02-15 04:19:32
 
A Estrada Nacional 260, que atravessa o concelho de Serpa, encontra-se degradada, principalmente no troço que liga Via Nova de S. Bento a Vila Verde de Ficalho. A degradação desta via tem desde algum tempo sido comunicada à Infraestruturas de Portugal, entidade responsável pela manutenção da estrada, que até à data de hoje, não tem feito as obras.
 

O estado de degradação em que esta via se encontra, que coloca quem nela circula em perigo, foi alvo de um comunicado por parte do Município de Serpa e de uma intervenção junto do Governo dos deputados do PS eleitos por Beja, Pedro do Carmo e Telma Guerreiro.

A autarquia de Serpa em comunicado enviado à nossa redacção, salienta que “depois da Junta de Freguesia de Vila Verde e Ficalho e da União de Freguesias de Vila Nova de São Bento e Vale de Vargo terem denunciado a grave degradação do piso da Estrada Nacional 260, que atravessa o concelho, a Câmara Municipal de Serpa associa-se, mais uma vez, a esta luta mais do que justa das populações do concelho”.

O documento chama a atenção para o facto de já há anos que o município vem alertando a Infraestruturas de Portugal, (IP), entidade responsável pela manutenção desta via, para a necessidade de realização de obras de monta na EN 260. “Em 2018, a autarquia enviou um relatório técnico, documentado com fotografias, elaborado pelos serviços, em que as conclusões apontam para troços em condições inaceitáveis, em que a degradação do piso, fendas por fadiga, deformações causadas por raízes das árvores e buracos, são os principais motivos apontados para a urgência de intervenção por parte da IP”.

No comunicado adianta-se que depois dos alertas enviados à Infraestruturas de Portugal a mesma ao fim de um ano, informou que “foram identificadas necessidades de intervenção no montante aproximado de 22 milhões de euros. Contudo, a IP informa que tendo em conta o actual enquadramento financeiro e à impossibilidade de executar a curto prazo todas as intervenções necessárias, vão assegurar a manutenção da rede, bem como intervindo em situações de emergência de forma a repor as condições de circulação, algo que não está a acontecer”.

Os Deputados do PS eleitos por Beja, Pedro do Carmo e Telma Guerreiro questionaram o Ministro das Infraestruturas e da Habitação sobre a pavimentação da Estrada Nacional nº260, em especial no troço entre Vila Verde de Ficalho e Vila Nova de São Bento, no distrito de Beja.

O deputado Pedro do Carmo referiu à Planície que “ como é do conhecimento, esta estrada está num estado lastimável, pondo em risco quem circula nela, todos os condutores por uma questão de segurança e de qualidade da via. Naturalmente os deputados eleitos por Beja, pelo PS, estão atentos a essa situação e intervimos com os instrumentos que temos à nossa disposição, instrumentos parlamentares e questionámos o Governo sobre o prazo que tem para a reparação imediata dessa estrada. Até porque no actual contexto de pandemia essa é uma das fronteiras que está aberta ao trânsito ligeiro e pesado que se faz sentir com grande evidência nesta via”.

Pedro do Carmo e Telma Guerreiro defendem junto do governo a importância de se proceder a uma urgente intervenção de manutenção/pavimentação da EN 260, em especial no troço entre Vila Verde de Ficalho e Vila Nova de São Bento, devendo ser ponderada a possibilidade de construção de uma rotunda ou a colocação de sinalização semafórica no Cruzamento da EN nº260 com a EM 519 (Vila Nova de São Bento/Mina de São Domingos-Mértola) e a reorganização do tráfego no Cruzamento de Vale Vargo- Estrada Municipal 517/Estrada Nacional 392, conforme tem sido defendido pela população.

Recordamos que esta via, é a principal ligação à fronteira de Vila Verde de Ficalho a única que nesta situação de pandemia, que atravessamos, se encontra aberta 24 horas no Baixo Alentejo.

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
20 19
13 11
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda