“Prémio” Covid-19 – Hospital de Évora discrimina enfermeiros do serviço de urgência geral
Publicado | 2020-12-28 04:42:35
 
O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, (SEP), no âmbito da atribuição de uma compensação aos trabalhadores do Serviço Nacional de Saúde envolvidos no combate à pandemia da doença COVID-19." – Prémio de desempenho COVID-19, teve conhecimento que o hospital de Évora procedeu ao pagamento do referido prémio a um número restrito de enfermeiros.
 
Celso Silva do SEP em declarações à Planície explicou que o que está em causa “é que o Hospital de Évora pagou o Prémio Covid, que o Governo decidiu, só que dos 50 enfermeiros que poderiam receber o mesmo apenas 6 foram contemplados. Para nós não é compreensível e não percebemos o fundamento desta situação, visto que estes 50 enfermeiros do Serviço de Urgência, todos eles prestaram cuidados a doentes covid ou suspeito de terem covid. Não entendemos o porquê de só 6 receberem. Já enviámos um ofício para o Conselho de Administração do Hospital de Évora, para nos dar uma resposta a este critério, onde uma minoria recebe o prémio decidido pelo Governo”.

Para o SEP não é compreensível nem aceitável esta escolha e selecção que se traduz numa discriminação dos enfermeiros do serviço de urgência geral. De 50 enfermeiros apenas 6 receberam!

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
20 19
13 11
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda