Ministra da Saúde questionada sobre a situação dos médicos no Baixo-Alentejo
Publicado | 2020-12-21 04:14:10
 
A Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo, (ULSBA), viu os seus dois únicos médicos de Saúde Pública, colocados por mobilidade na Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo tendo a USP da ULSBA ficado sem qualquer médico.
 

Perante esta situação, o Grupo Parlamentar do PCP, questionou a Ministra da Saúde sobre esta situação, como referiu à Planície, o deputado comunista, eleito pelo círculo de Beja, João Dias. “Estamos a falar da Saúde Pública, que é uma Unidade, que tem uma responsabilidade muito importante, ainda para mais numa situação de pandemia como a que estamos a viver.”

O parlamentar salienta que “a Unidade de Saúde Pública (USP) assume, nos concelhos de influência da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA), um papel fundamental na vigilância epidemiológica, bem como, na prevenção, promoção e protecção da saúde da população cumprindo o exercício das funções de autoridade de saúde. É composta, maioritariamente, por médicos, enfermeiros de saúde pública ou de saúde comunitária e técnicos de saúde ambiental”.

“Tínhamos dois médicos e acabamos sem nenhum, ficámos completamente desprotegidos, numa situação complexa que estamos a viver e que vamos viver nos próximos meses”. Acrescentou o deputado.

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
20 19
13 11
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda