Candidatura de Évora a Capital Europeia da Cultura quer envolver todo o Alentejo
Publicado | 2020-10-31 15:29:13
 
A candidatura de Évora a Capital Europeia da Cultura em 2027 quer envolver todo o Alentejo na iniciativa e contar com a participação da região para a sua elaboração, afirmaram hoje os promotores.
 

"Abrangente e participada são bons temas de enquadramento da candidatura", afirmou o presidente da Câmara de Évora, Carlos Pinto de Sá, numa conferência de imprensa de apresentação da iniciativa, realizada na cidade.

A Câmara Municipal de Évora assumiu publicamente a decisão de avançar com a candidatura a Capital Europeia da Cultura em 2027, durante o Workshop Internacional "Culture Capital Cities", que decorreu, em fevereiro de 2019, na cidade.

Além da autarquia, a comissão executiva da candidatura integra a Turismo do Alentejo e Ribatejo, Agência Regional de Promoção Turística do Alentejo, Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional do Alentejo, Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central, Direção Regional de Cultura do Alentejo, Fundação Eugénio de Almeida e Universidade de Évora.

Na apresentação da candidatura, na sua sede, na Torre do Salvador, no centro histórico, o autarca vincou que se pretende "uma participação efetiva" e que esta se "possa refletir na elaboração" da iniciativa.

"Façam propostas, tragam ideias e apresentem sugestões para que se possam articular esses projetos, que, obviamente, têm de ser exequíveis, mas queremos ter a porta aberta", referiu.

Pinto de Sá adiantou que, no âmbito do processo de participação, foram recebidas "três ou quatro ideias para grandes projetos", realçando que há disponibilidade para acolher iniciativas mais pequenas, "ao nível do bairro ou da aldeia".

Essas ideias, assinalou, devem ter "um pendor cultural importante ou uma ligação fundamental com a vida das pessoas".

Por outro lado, o presidente da autarquia defendeu que a candidatura deve abranger todo o Alentejo e receber contributos de outros locais da região para que as populações dessas zonas se "sintam representadas".

"Não queremos que seja uma candidatura que parta de Évora para o Alentejo. É uma candidatura que tem propostas de Évora, mas queremos que parta do Alentejo para a Europa", sublinhou.

O autarca assinalou que a "corrida" de várias cidades a Capital Europeia da Cultura em 2027 fez com que "pela primeira vez em Portugal um conjunto significativo de territórios aborde a estratégia para a cultura".

"No Alentejo, temos uma vantagem: Desde o 25 de abril de 1974 que a cultura é estratégica", notou Pinto de Sá, lembrando a classificação do centro histórico de Évora como Património Mundial da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), em 1986, e a aprovação do Plano Estratégico da Cultura da cidade em 1999.

Sobre a covid-19, o autarca admitiu que a pandemia tem condicionado a candidatura e que o plano de ação já "foi completamente alterado", assim como o processo de participação e o trabalho técnico da iniciativa.

A coordenadora da equipa de missão, Paula Mota Garcia, adiantou que "a assunção da escala humana vai ser o ponto de partida para a definição da estratégica" da candidatura.

Foi também apresentado o lema "Anda, acreditando" para a primeira fase da candidatura de Évora a Capital Europeia da Cultura em 2027.

Lusa

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
20 19
13 11
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda