Eleições às CCDRs “Mistificação e logro” - PCP do Alentejo
Publicado | 2020-09-24 04:17:50
 
Em comunicado de imprensa o Executivo da Direcção Regional do Alentejo do PCP (DRA) considera que “o prosseguimento do processo de -eleição- do presidente e vice-presidente da CCDR decorrente do acordo entre PS e PSD em 2018 mistificando conceitos, constitui um logro apresentando a desconcentração como sinónimo de descentralização, iludindo a natureza distinta entre ambas e procurando em soluções desconcentradas um factor de redução da exigência de uma efectiva descentralização, adiando mais uma vez a Regionalização”.
 

Dias Coelho do PCP Alentejo salientou à Planície que "Aquilo que nós temos para adiantar seria avançar com o processo de regionalização, para o qual nós apresentamos diversas propostas na Assembleia da República”.

O comunista diz que “De acordo, e em coerência com esse nosso posicionamento, nós consideramos que o processo de eleição do presidente e vice-presidente das CCDRS, que decorre do acordo PS e PSD em 2018, mistifica conceitos e constitui um logro. Este processo ilude em diversas vertentes”.

A informação do PCP do Alentejo esclarece ainda que “Reforçando a necessidade de serem assegurados e não desviados os fundos comunitários indispensáveis ao investimento na Região, bem com a elaboração de um Plano de Apoio à Base Económica e de um programa de Infraestruturas Públicas para o Alentejo, considerando como áreas nucleares os recursos hídricos, a mobilidade, a saúde, a energia, as conectividades, o acolhimento empresarial e aposta na base Económica regional condições inseparáveis para um desenvolvimento sustentável, o Executivo da DRA do PCP denuncia o falso processo de descentralização em curso e  sublinha a necessidade do prosseguimento da luta pela Regionalização e apela ao conjunto dos eleitos da CDU para que prossigam o seu trabalho em prol dos trabalhadores e das populações, exigindo do poder central e das suas estruturas desconcentradas um efectivo apoio à Região, não discriminando, nem governamentalizando os meios quer do Estado, quer os fundos oriundos da União Europeia e dotando o Poder Local Democrático das condições para a melhoria da qualidade de vida das populações”.  

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
20 19
13 11
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda